• "Brasil é o primeiro do mundo em potencial de descoberta de espécies, diz estudo"

    "O processo para identificar e catalogar novas espécies de fauna e flora exige conhecimento técnico apurado e muita experiência com a biodiversidade existente em determinados locais. Só assim é possível diferenciar espécies mais raras e as mais comuns, explica Hudson Pinheiro, cientista do Centro de Biologia Marinha da Universidade de São Paulo (USP) e mergulhador profundo da Academia de Ciências da Califórnia." Clipping de Correio Brasiliense.
  • "Choro salgado: mais poluição no mar capixaba"

    "O diretor da associação [Voz da Natureza] e cientista do Centro de Biologia Marinha da Universidade de São Paulo (CEBIMar/USP), Hudson Tercio Pinheiro, afirma que atualmente a Voz da Natureza tem diversas iniciativas em andamento como o projeto de Monitores Marinhos (Momar) e pesquisas relacionadas aos fatores de impactos humanos nos ambientes costeiros, assim como a recuperação de ambientes já degradados e a criação de unidades de conservação nas ilhas costeiras da região." Clipping de ESHoje.
  • A doença do coral sol: um vislumbre de esperança em um dos maiores casos de bioinvasão marinha já documentado

    A doença do coral sol: um vislumbre de esperança em um dos maiores casos de bioinvasão marinha já documentado O popular coral-sol representa duas espécies de corais, Tubastraea tagusensis e Tubastraea coccinea. Esta dupla, que nem brasileira é (são nativos do Indo-Pacífico), tem sido um grande problema para a biodiversidade marinha brasileira desde a década de 1980. Ao invadir ambientes naturais, estas espécies têm gerado diversos impactos ecossistêmicos muitos dos quais ainda pouco compreendidos. Além de não terem sido convidados, eles crescem muito rápido e se reproduzem muito cedo. Não têm inimigos ou competidores nativos. Tudo isso, somado a uma elevada capacidade regenerativa, faz desses corais genuínos “duros na queda”.
  • Conheça Tagea: a menina curiosa que amou o mar e virou cientista

    Inspirado na professora brasileira Tagea Björnberg, material didático do Centro de Biologia Marinha da USP apresenta os plânctons para crianças.
  • Mas que mar é esse que de noite acende?

    Este vídeo mostra uma menina curiosa e sua perplexidade diante do mar. A personagem foi inspirada na professora e cientista Tagea Kristina Simon Björnberg. Tagea tinha uma curiosidade nata pela natureza e dedicou sua carreira de cientista ao estudo dos organismos marinhos.
  • Novo Portal de Serviços facilita o acesso aos serviços acadêmicos e administrativos da USP: https://portalservicos.usp.br. Para login, utilize seu número USP e sua senha única.
  • Medidas preventivas no CEBIMar contra o coronavirus
  • Vídeo sobre o CEBIMar