Projetos de pesquisa finalizados

Acesso a área restrita.

Entre para cadastrar ou atualizar seus projetos de pesquisa ou submeter novas solicitações de apoio a projetos.
Obter nova senha - Receber nome de usuário por e-mail - Criar uma conta

Projeto de pesquisa


  • Taxonomia, estratégia reprodutiva e estrutura genética dos corais invasores do Atlântico Tubastraea coccinea e T. Tagusensis (Cnidaria: Scleractinia)

     
  • Coordenador do projeto: Carla Zilberberg  
  • Autor ou executor principal do projeto: Kátia Capel  
  • Número do projeto: 913  
  • Categoria: Doutorado 
  • Data de início das atividades no CEBIMar: 01/03/2015  
  • Data de término das atividades no CEBIMar: 31/01/2016  
  • Resumo: O gênero Tubastraea Lesson, 1829 (Anthozoa, Dendrophylliidae) compreende seis espécies viventes, dentre as quais duas (T. coccineaT. tagusensis) foram acidentalmente introduzidas na costa brasileira por volta da década de 1980 no Rio de Janeiro. Atualmente as espécies são encontradas em costões rochosos da Bahia à Santa Catarina, aonde vem aumentando sua abundância e competindo diretamente com espécies nativas. A estratégia reprodutiva de ambas as espécies é um dos fatores que facilita a dispersão e rápido estabelecimento em novos locais. De forma geral, T. coccinea é uma espécie oportunista de crescimento rápido, maturidade reprodutiva precoce e formas de reprodução sexuada e assexuada. A liberação de larvas assexuadas é a forma predominante de reprodução da espécie, entretanto, já foi observada liberação de gametas, indicando que pode haver fertilização externa/cruzamento. Embora T. coccinea se reproduza predominantemente por incubação de larvas, informações precisas acerca da forma de produção destas ainda são escassas. Da mesma forma não existem informações sobre a diversidade genética das populações, assim como se as mesmas foram introduzidas uma ou múltiplas vezes e quais teriam sido as principais rotas de entrada. Atualmente, ferramentas moleculares têm sido amplamente utilizadas tanto em genética de populações quanto para avaliar a estratégia reprodutiva de uma espécie, e microssatélites têm sido cada vez mais empregados, principalmente devido ao seu caráter altamente polimórfico.
     
  • Metodologia: Amostragem
    Para avaliar a diversidade genética e conectividade entre as diferentes populações de T. coccinea e T. tagusensis serão amostrados 25 colônias de cada espécie em três pontos no Oceano Pacífico, três no Caribe e cinco no Brasil (Porto Seguro – BA, Ilha Grande – RJ, Ilha de Búzios – SP, Arquipélago dos Alcatrazes – SP e Ilha do Arvoredo – SC). Para averiguar se as larvas liberadas são produzidas sexuadamente ou assexuadamente, 10 colônias de cada espécie serão coletadas no litoral de São Paulo (Ilha de Búzios) e mantidas em recipientes separados com fluxo de água aberto e contínuo por 15 dias. Durante esse período dez larvas de cada colônia serão coletadas  para análises genéticas. 
    Análises morfológicas
    Para a revisão do gênero serão analisados os espécimes depositados no National Museum of Natural History, Smithsonian Institution (NMNH), Estados Unidos. A fim de apresentar uma descrição detalhada das duas espécies que ocorrem na costa brasileira e contornar problemas decorrentes da plasticidade morfológica serão analisados exemplares de três pontos da costa (Ilha Grande – RJ, Ilha de Búzios – SP e Ilha do Arvoredo – SC). 

    OBS: As etapas a serem realizadas no CEBIMar são as coletas na Ilha de Búzios e a manutenção das colônias em fluxo de água contínuo para a coleta das larvas. As análises moleculares não serão realizadas no CEBIMar.
     
  • Etapas e cronograma: Amostragem
    Já foram coletadas amostras em 4 dos 5 pontos na costa brasileira (Porto Seguro - BA, Ilha Grande - RJ, Arquipélago dos Alcatrazes - SP e Ilha do Arvoredo - SC). As amostras do Caribe e Pacífico estão sendo coletadas por colaboradores do projeto. 
    Análises morfológicas
    Em fevereiro de 2014 foram analisados todos os exemplares das seis espécies do gênero Tubastraea presentes na coleção do NMNH, incluindo o tipo de quatro delas. A partir da análise desse material e de uma extensa revisão bibliográfica já iniciada acerca das espécies viventes deste gênero e suas sinonímias, foi possível dar início à descrição das espécies. 
    Extração do DNA, amplificação e genotipagem
    A extração e amplificação do material já coletado está em andamento no Laboratório de Biodiversidade de Cnidaria na Universidade Federal do Rio de Janeiro.

    Etapas a serem realizadas no CEBIMar
    Montagem da estrutura (recipientes com fluxo de água aberto): 09/mar/2015 a 11/mar/2015
    Coleta de organismos na Ilha de Búzios: 12/mar/2015
    Manutenção das colônias com fluxo de água aberto: 12/mar/2015 a 26/mar/2015
    Desmontagem da estrutura (recipientes com fluxo de água aberto): 26/mar/2015 a 27/mar/2015
     
  • Palavras-chave: espécies invasoras; Scleractinia; coral-sol 
  • Condições ambientais: Nenhuma condição especial ;   
  • Área necessária no laboratório: Espaço para montagem de uma estrutura contendo 20 recipientes de 20 x 15 cm com fluxo de água aberto e contínuo. 
  • Equipamentos de laboratório: Nenhum. 
  • Será necessário: Montagem de alguma estrutura (estantes, aquários etc) ;  Coleta antecipada de organismos ;  Utilização de embarcação do CEBIMar ;   

  • Outros serviços de laboratório: Nenhum. 
  • Organismos a serem coletados: Serão coletados 35 colônias de Tubastraea coccinea e 35 colônias de Tubastraea tagusensis (coral-sol). 
  • Locais para coleta: Será necessário uma coleta na Ilha de Búzios, São Sebastião - São Paulo (23°47’S,49°09’O). 
  • Tipos de resíduos químicos e/ou infectantes a serem gerados durante o projeto: Nenhum. 
  • Quantidade de cada tipo de resíduo: Nenhum.
  • Periodicidade aproximada da geração dos resíduo: Nenhum.
  • Instituição(ções) de origem do projeto:

    • Outra instituição  Universidade Federal do Rio de Janeiro 
     
  • Participante(s) do projeto:

    • Nome: Marcelo Visentini Kitahara  
    • Função no projeto: Co-orientador 
    • Início das atividades no projeto: 01/03/2015  
    • Fim das atividades no projeto: 31/01/2016  
     
  • Recurso(s) destinado(s) ao projeto:

    • Situação: Concedido 
    • Agência de fomento: Capes 
    • Tipo de recurso: Bolsa 
    • Especificar o tipo de recurso: Bolsa de doutorado 
    • Recursos em nome de: Kátia Capel 
     

    Etapas desenvolvidas e resultados obtidos:

  • Para averiguar se as larvas liberadas pelas espécies invasoras Tubastraea coccinea e Tubastraea tagusensis são produzidas sexuadamente ou assexuadamente, 14 colônias de cada espécie foram coletadas na Ilha de Búzios no dia 12 de março de 2015. As colônias foram mantidas em recipientes separados com fluxo de água aberto e contínuo e todas as larvas liberadas foram coletadas e fixadas em álcool 100%. Durante o experimento foram coletadas no total 386 larvas de T. tagusensis e 72 larvas de T. coccinea. As análises moleculares serão realizadas ao longo dos prõximos meses.
     

    Produção(ões) bibliográfica(s) gerada(s) pelo projeto:

    Total de produções bibliográficas: 0


  • Data de cadastro do projeto: 28/01/2015  
  • Data da última modificação: 02/03/2015  
Joomla 1.6 Templates designed by Joomla Hosting Reviews